WIT + Fórum Meninas Digitais

Dia 21/07:

Manhã: atividades do WIT

17hs às 19hs: Fórum Meninas Digitais 

Painel: “Projetos e ações para inclusão de meninas nas áreas tecnológicas: colhendo frutos”  

Moderação: Prof. Cristiano Maciel – Coordenador do Programa Nacional Meninas Digitais, professor da UFMT (https://sbcmt.wordpress.com/meninasdigitais/)

 

Painelistas e seus projetos:

  1. Mulheres na Computação Itapetininga

Daniela dos Santos Santana | Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP), campus Itapetininga

O projeto tem como objetivo incentivar as meninas na computação, mas precisamente para a área da robótica. Estão sendo desenvolvidos dois projetos. Um que tem como finalidade incentivar a robótica, com o uso de um carro chassi e braço robótico sendo programados pela plataforma Arduino. O outro projeto e um jogo para crianças com câncer utilizando a plataforma Arduino.

Financiadores: IFSP e CNPq.

Facebook: https://www.facebook.com/pages/Mulheres-na-computa%C3%A7%C3%A3o-Itapetininga

 

  1. Cunharandu Bots - Meninas da Fronteira na Robótica

Elisângela Silva da Cunha Rodrigues e Amaury Antônio de Castro Junior | Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), campus de Ponta Porã

Cunharandu, em Guarani, significa “mulher inteligente” e é uma palavra formada pela junção dos termos guaranis “cuña” (mulher) e “arandú” (inteligente). Já o termo “bot” representa a contração de robot, que significa robô. A ideia do projeto é ampliar, incentivar e motivar a participação de mulheres na área das ciências exatas, engenharias e computação através da robótica educacional ou pedagógica. Especificamente, foi formada uma equipe feminina para competir na modalidade Dança com Robôs, na Competição Brasileira de Robótica.

Financiador: CNPq

Facebook: https://www.facebook.com/cunharandu

 

  1. PyLadies

Gabriela Cavalcante da Silva, Natal

O PyLadies, é uma comunidade mundial que foi trazida ao Brasil com o propósito de instigar mais mulheres a entrarem na área tecnológica. Isso é feito através de encontros periódicos, mini-cursos, dojos e palestras. A principal linguagem usada é o Python. Nosso objetivo é fazer o que pudermos para mudar essa realidade de poucas garotas em uma área tão rica e fantásticas como a computação. Com a introdução do PyLadies no Brasil, já há meninas em Brasília, SP, Rio, MG, Recife (além de nós, de Natal também).

 Site: http://brasil.pyladies.com/

Facebook: https://www.facebook.com/PyLadiesBrazil

 

  1. Meninas na Ciência da Computação: Despertando vocações através da difusão do conhecimento

Josilene Aires Moreira | Universidade Federal da Paraíba (UFPB)

O principal objetivo do projeto é motivar as alunas do Ensino Médio a ingressarem na área de Ciência da Computação. Para tanto, são promovidas maratonas de programação, visitas técnicas à Universidade, cursos de desenvolvimento de jogos e atividades de Robótica. As alunas monitoras da UFPB têm se mostrado extremamente motivadas, de modo que o escopo do projeto foi ampliado, promovendo também o apoio e a integração das demais alunas dos cursos superiores em Computação.

Financiador: MCTI/CNPq/SPM-PR/Petrobras

Facebook: https://www.facebook.com/men.comp

 

5) Android Smart Girls

Juliana Freitag Borin | Instituto de Computação da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)

Este projeto é uma iniciativa do grupo IEEE WIE Unicamp, ­ que objetiva proporcionar a alunas de ensino médio um primeiro contato prazeroso com noções de lógica de programação e desenvolvimento de algoritmos. Para tanto, a atividade escolhida para ser realizada com as meninas é o desenvolvimento de aplicativos para smartphones
usando a ferramenta MIT App Inventor.

Financiador: MCTI/CNPq/SPM­PR/Petrobras, Apoio: Samsung

Facebook: https://www.facebook.com/androidsmartgirls

 

6) Meninas Digitais Regional Mato Grosso

Karen da Silva Figueiredo | Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)

Este projeto tem como objetivo a realização de práticas de caráter motivacional e informativo com alunas de Ensino Médio no estado de Mato Grosso visando a equidade de gênero nas carreiras e cursos das áreas de Computação e Tecnologias da região, por meio do incentivo e promoção da participação feminina. O projeto faz parte do Programa Nacional Meninas Digitais da SBC.

Apoio: Secretaria Regional da SBC-Mato Grosso

Facebook: https://www.facebook.com/MeninasDigitaisMT  

 

7) Meninas Digitais - Regional Sul UFSC

Luciana Bolan Frigo | Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Este projeto tem como foco motivar meninas do ensino médio a seguirem carreira nas áreas que envolvam o desenvolvimento de tecnologias computacionais através da desmistificação do papel da mulher na referida área. São desenvolvidas oficinas relacionadas à robótica, eletrônica, desenvolvimento de jogos digitais e de aplicações para dispositivos móveis.

Financiadores: CNPq/Vale S.A.; MCTI/CNPq/SPM-PR/Petrobras, Probolsa UFSC 2014, Instituto Alcoa

Site: bit.ly/mdigitais

Facebook: https://www.facebook.com/meninasdigitaisufsc

 

8) Meninas Também Jogam

Tainá Jesus Medeiros | Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) e Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN)

Meninas Também Jogam é um projeto que visa apresentar para a sociedade o quanto as mulheres são capazes e conseguem sucesso com a escolha da profissão na área de computação, exclusivamente na área de games. Incentiva-se as meninas a entrarem na área de Computação por meio dos jogos, compartilhando experiências de profissionais do mercado e discutindo as funções em uma equipe de desenvolvedores de games. Nos encontros são realizadas palestras e minicursos de desenvolvimento de games.  

Site: www.meninastambemjogam.com

Facebook: https://www.facebook.com/pages/Meninas-Tamb%C3%A9m-Jogam

 

 

Dia 22/07:

Manhã: Fórum Meninas Digitais

Dinâmica com meninas e colaboradores

Título:  Meninas Digitais - prototipando soluções tecnológicas para uma vida melhor

 

Descrição: Estudantes de escolas públicas de Recife e região serão convidadas a passar uma manhã em atividade prática que privilegia as seguintes ações: discussão, projeto, prototipação e apresentação de suas ideias para a criação de soluções tecnológicas que possam melhorar a vida das pessoas em diferentes contextos: educação, saúde, meio ambiente, mobilidade urbana, empoderamento feminino, entre outros temas que envolvem o cotidiano. Em equipes, as estudantes serão orientadas por docentes e estudantes de cursos de graduação da área de Computação de diversas universidades brasileiras. Brainstorming e técnicas de prototipação serão praticadas no processo de concretização das ideias. A dinâmica termina com a apresentação dos protótipos criados, que serão socializados com os demais participantes do CSBC. As estudantes serão estimuladas a explorar a criatividade e a refletir sobre os desdobramentos da tecnologia na vida das pessoas, demonstrando, entre outros aspectos, a responsabilidade social da Computação.

 

Organização:

Mariângela de Oliveira Gomes Setti

Marilia Abrahão Amaral

Silvia Amélia Bim

Professoras do DAINF - Departamento Acadêmico de Informática da UTFPR-Curitiba (Universidade Tecnológica Federal do Paraná). Integrantes do projeto Emíli@s.

 

Lhais Rodrigues Silva

Graduanda em Engenharia da Computação pelo Centro de Informática da UFPE, Colaboradora do Women Who Code Recife e MIC ETEPAM (Centro de Inovação da Microsoft ETEPAM), Embaixadora do Techno

Realização

Patrocínio

Diamante

Platina

Ouro

Prata

Bronze

Apoio

Desenvolvido por: